23 de setembro de 2014

Superação da Janine!

Amados,essa semana estou trazendo novas histórias dos guerreiros e guerreiras que tenho conhecido através do blog e do meu tratamento..Hoje a história é da linda Janine Duarte,vejam o depoimento dela.
"Bom, tudo começou em uma fase muito ruim da minha vida, quando meus pais se separaram e meu amigo morreu de câncer, em torno de um mês depois eu notei um caroço no meu seio esquerdo, e fiquei muito desesperada quando ele começou a sair uma secreção transparente, eu em estado de choque e não conseguia achar uma forma para falar com minha mãe, nós não tínhamos um relacionamento de mãe e filha, por isso eu não conseguia dizer as coisas para ela, depois de chorar muito, no dia seguinte eu contei, fomos ao posto de saúde onde a médica me atendeu, a secreção já havia parado, ela me avaliou e disse que não era nada. Eu lembro que minha mãe disse: “Será que adolescente pode ter câncer de mama?” E a médica riu e disse que isso não seria possível. Ela nos tranquilizou e disse que estava tudo bem. Nessa época eu tinha 13 pra 14 anos, hoje eu tenho 17! E no decorrer desse tempo eu passei por uma fase do tipo "aceitação", comecei a pensar na possibilidade de que eu tinha um seio "deformado" e que não era igual ao das outras mulheres. 3 anos se passaram. E o que era um simples "carocinho", se tornou o meu pior pesadelo, quando no inicio de 2014 em Janeiro eu cansei, tirei a blusa e me olhei no espelho, cara aquilo era muito feio e enorme. Meu seio esquerdo era muito feio! E o direito era normal. Aquilo me incomodava tanto, tanto... doía, inchava. Como consegui viver assim por tanto tempo? Eu me sentia horrível! Então abri meu notebook e pesquisei na internet, digitei os meus sintomas e obtive meu próprio diagnostico em uma página de Câncer de Mama na internet. Quando li aquelas palavras de confirmação desabei a chorar. Chorei por horas. Gritei e tudo mais. Minha mãe veio saber o que estava acontecendo, lembro que ela tava dando de mamar pro meu irmãozinho recém-nascido e ela ficou desesperada por eu estar chorando muito, ela me acalmou e contei tudo para ela então no dia seguinte voltamos ao Posto de Saúde. Novamente, assim que contei meu diagnostico, a nova médica disse que naturalmente não era nada, foi até irônico quando ela me pediu para tirar a blusa para que ela pudesse me examinar e quando ela viu meu seio, ficou desesperada, e pediu um ultrassom com urgência. No dia seguinte, fizemos a ultrassom, a médica que fez o exame em mim disse que eu deveria tratar com urgência porque naturalmente era câncer. No mesmo dia fomos ao posto médico onde a medica viu o exame e confirmou o diagnostico, ela disse que naturalmente eu iria passar por sessões de quimioterapia e radioterapia e possivelmente uma cirurgia para retirada dos meus seios e todas as ínguas que tenho na axila. Eu chorei muito. Eu era só uma garota de 17 anos... Eu iria perder meus seios? Como assim? Todos da minha família ficaram abalados, eu fiquei triste e só pensava em coisas ruins. E pior, não tínhamos plano de saúde nem nada, minha mãe teve que batalhar muito para conseguir tratamento no hospital público, e era tudo difícil, porque meu irmão era novinho, tinha só um mês e tínhamos que sair muito e andar muito e ele ficava muito cansado. Nós chegamos a ir na prefeitura da cidade para tentar consegui tratamento em algum hospital de BH, porque na nossa cidade não tem tratamento para isso. Eu só pensava em desistir. Mas minha mãe dizia: “Você não vai desistir, nós vamos conseguir mesmo que eu morra tentando! E eu creio que Deus vai te curar!”. Então eu me dei conta de que eu não podia me dar ao luxo de desistir, e eu criei forças para continuar, não por mim, mas por todos os meus amigos e familiares que me amavam tanto. Tomei coragem, e permaneci na esperança e fé, orando e pedindo a Deus que fizesse um milagre na minha vida. Consegui fazer um exame em um hospital particular, de graça, uma punção, uma agulha que colhia líquido do tumor, doeu demais, eles mandaram para analise e então uma semana depois veio o resultado, a punção não havia sido o suficiente para que dissesse de que tipo era o tumor. Alguns dias depois, conseguimos uma vaga no hospital público, e ai começa a luta, mais de uma hora no ônibus lotado para chegar ao hospital, horas e horas na fila para ser atendida. Toda semana era assim. Tive que fazer uma Core Biopsia, e foi o pior e inesquecível e terrível exame que já fiz em toda minha vida. Chorei o exame todo, sem falar que depois do exame saiu muito sangue, e fiquei com uma pequena cicatriz devido a agulha que era da grossura de uma caneta e maior do que uma caneta, esse exame é onde eles colhem um pedacinho do tumor e leva para analise. Foi o pior dia da minha vida. Então, dias depois o resultado, BENIGNO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Eu explodi de alegria. Era um tumor benigno, do tipo filoide. O médico disse que se fosse maligno esse tumor estaria muito maior. Mas em fim, não era, então tudo a fazer era realizar uma cirurgia para retirada do tumor! :D :D :D , foram semanas e mais semanas, indo naquele hospital horrível e ficando horas lá. Era muito ruim, porque na ala de mama, só tinha mulheres mais velhas, eu era a única garota novinha, todas tinham mais de 45 anos. Nunca conheci ninguém da minha idade. Todos ficaram impressionados com o meu caso, já que sou nova demais para ter um tumor no seio. Essa coisa de "você não tem idade para ter câncer" é uma tremenda mentira, o câncer não analisa sua idade ou qualquer coisa do tipo ele só acontece...  Então depois de meses, eu fiz a cirurgia, e foi preciso fazer uma reconstrução no meu seio porque ele ficou deformado, durou cinco horas e o tumor era muito grande mesmo, mas o resultado foi ótimo, meus seios são idênticos e até bonitos, e eu tenho duas cicatrizes e eu amo elas porque toda vez que olho para elas eu tenho orgulho de dizer: EU LUTEI, EU VENCI!!!!! Devemos encarar nossas cicatrizes como algo belo, porque uma cicatriz significa que você sobreviveu! Foi muito difícil, foi a pior fase da minha vida, minha família ficou muito triste, vi meu pai chorar de um jeito que nunca havia visto, vi minha mãe sofrer de forma que nunca sofrera, meus avós e amigos. Minha mãe sofreu tanto, e lutou tanto por mim. Mas a nossa esperança prevaleceu, e se o tumor não me matou nada vai, ainda há muito que viver. Há sonhos a serem realizados. Eu agradeço a Deus por ter passado por isso, é irônico e estranho, mas o Tumor no fim me trouxe coisas boas, me tornou mais forte, e a certeza de que eu sou muito amada e tenho poucos mais verdadeiros amigos! Fez-me ter uma amizade com a minha mãe, e eu tive que ter uma doença para que nós pudéssemos ser amigas, e eu sou muito feliz por isso. Hoje eu vejo a vida como algo mais belo, eu tenho um relacionamento com Deus, eu sou muito feliz. Eu não desisti. Quando meu mundo parecia estar acabando, tudo deu certo! Porque eu não desisti. Eu encarei de cabeça erguida. E mesmo se meu diagnostico fosse maligno, eu não faria diferente. Desistir não é a opção certa e a vitória será garantida se não na terra nos céus e nos braços do nosso Pai amado. Descobri que vou poder amamentar meus filhos, quando antes diziam que não poderia. Mas eu também descobri que a última palavra é de Deus! E mesmo temendo às vezes pelo meu futuro, já que por meu tumor ter sido filoide ele tem tendência a voltar e quando isso acontece costuma ser maligno, mas eu não penso no amanhã, ou "se ele voltar" eu penso no agora, no hoje, eu quero viver e ser feliz! Deus me deu uma segunda chance e eu preciso aproveita-la ao máximo. Por isso digo-lhes, mesmo que você esteja cansada, não desista, confia em Deus deixe em suas mãos que tudo vai dar certo. Sou a prova viva disso! Hoje descobri o motivo do meu câncer, o tumor filoide costuma acontecer nas mulheres que estão na menopausa, devido à mudança hormonal, mas comigo foi ao contrario, foi quando eu comecei a menstruar, e logo quando meu sentimental estava abalado devido à morte do meu amigo e a separação dos meus pais, e essa bagunça hormonal e sentimental que se formou o câncer, minhas adoráveis células se desenvolveram em excesso demais e então deu nisso. Esse foi o meu "quase"!"
Incrível né? Quando Deus nos guia e ajuda a gente a enfrentar as batalhas novas que a vida apresenta fica tudo mais fácil.
Essa é a Janine,guerreira linda.E encerro esse post com uma frase que ela me enviou junto com o depoimento:
"Aprendi que toda dor precisa ser sentida!"  
Espero que tenham gostado da história de hoje,amanhã trago outra superação maravilhosa,de um guerreiro que ainda luta para vencer a leucemia pela segunda vez! Beijos de carinho e amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adolescentes Superam © 2014 . POWERED BY BLOGGER . ILLUSTRATION BY BELL MITYSHU . THEME BY LALONITA e LARISSA BÉS