28 de abril de 2020

Quando o dia não é tão bom

Dia de coração apertado, de nó na garganta. Dia de lembranças e desejos, estes que não podem se realizar. 

Dia 27 de abril marca a partida de uma das melhores pessoas que conheci na vida. E essa angústia não é só de hoje, mas de todos os dias em que lembro de um anjo que passou por mim.

Tive que me despedir de tantas vozes lindas, pensamentos brilhantes e projetos incríveis. Em alguns momentos eu só queria mais uma hora de conversa, mais um dia curtindo a vida, mais uma bronca. São momentos e pessoas que não voltam mais. Sou feliz e grata por poder compartilhar vida com tantas pessoas boas.

Hoje, eu queria não me cobrar sobre o meu propósito, sobre o meu medo de decepcionar meus amigos que cumpriram seu legado. Queria um abraço deles, que me entendiam como ninguém. Sei que a vida segue seu rumo, e uma coisa que aprendi em todos esse anos, é a ser feliz com o que eu tenho. 

Essa é a minha história - citando a linda Flávia  Maori, por mais torta, e cheia de fortes emoções, que ela seja, eu sou a soma de tudo que vivi até agora. Às vezes cansa e da vontade de começar do zero em um corpinho novo, e me pego imaginando como seria um corpo sem cicatrizes, se nunca tivesse tido câncer. Será que eu seria mais feliz se nunca tivesse estado doente? Se não tivesse na minha trajetória tanta gente morta? - Leia essa última frase com um sorriso louco no rosto - Acho sinceramente, que não. 

A saudade faz parte de mim, mas só sou feliz hoje por tudo que aconteceu e quem conheci. Faz parte ignorar as vezes o choro, o medo, e simplesmente seguir em frente. Tudo bem. Não sou fraca por estar triste hoje. Não sou forte porque venci algumas batalhas difíceis. São sempre dois lados. E mesmo com dor hoje, por me sentir sozinha nesse mundo do câncer, pela saudade de uma voz, ou pela vontade de tirar a dor do mundo, eu sei que to bem, e sou feliz. 

Gosto muito de fotos, minha família até brinca que sou a "Maria foto", e não é por acaso, porque são as fotos do passado que acalmam meu coração em dias que não são tão bons.

Converso com Deus e peço que Ele me capacite, e continue me usando como instrumento, assim como usou meus amigos, e vai usar muito mais gente.

Esse texto é pra você Laura. Marquinhos. Michel. Milena. Poli. Wanessa. Marisa. Rose. Luis Henrique. Julia. Erna. Simone. Mirian. E para todos aqueles que sentem falta de alguém.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adolescentes Superam © 2014 . POWERED BY BLOGGER . ILLUSTRATION BY BELL MITYSHU . THEME BY LALONITA e LARISSA BÉS